SE VOCÊ PENSA QUE OS HOMENS FORTES SÃO PERIGOSOS, ESPERE ATÉ VER DO QUE OS FRACOS SÃO CAPAZES

Vez ou outra acontecem alguns escândalos por aí que envolvem homens e mulheres. Nada fora do normal. O que seria de nossa vida sem alguns escândalos, não é mesmo?! Os jornalistas que o digam. Homens que muitas vezes pareciam tão dóceis e pacíficos ao olhar da multidão de repente agridem fisicamente suas namoradas em um ato de fúria e rebeldia. Ora, quem poderia supor algo assim? Grande parte das pessoas — principalmente as mulheres — ficam horrorizadas e surpresas com tais acontecimentos. “Como aquele cara que defendia o feminismo, era contra o machismo, que defendia as mulheres a toda prova em suas postagens na internet com palavras doces de carinho, ousou agredir sua namorada? Se homens que parecem dóceis fazem isso, imagina os outros…”

Calma lá um pouquinho. Todos estes escândalos envolvendo homens “dóceis” me fazem lembrar de uma célebre frase do psicólogo Jordan Peterson: se você pensa que os homens fortes são perigosos, espere até ver do que os fracos são capazes. Entenda homens fortes aqui como aquele estereótipo do herói que enfrenta suas sombras e seus vilões para salvar a princesa no final de sua jornada. E era este o modelo que nós homens buscávamos e nos inspirávamos. Os filmes antigos traziam estes heróis em homens como Sylvester Stallone, Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis e outros, mas, pelo visto, todos estes filmes e estes atores cheios de testosterona são considerados machistas em nossos dias atuais por grande parte dos intelectuais, jornalistas e ativistas sociais, pois são um estereótipo do “homem patriarcal opressor”.

É o típico homem que contém suas emoções na frente dos outros; ele chora no banho ou com seu psicólogo, mas nunca na frente da multidão; é aquele homem que não leva desaforo para casa na maior parte das vezes, pois tem a consciência que isso o torna fraco, e todo homem fraco tem grandes possibilidades de se tornar ressentido, rancoroso e covarde; é aquele homem que diante de um problema, busca pensar racionalmente e evita ao máximo não entrar em desespero, ou seja, ele vai lá e tenta resolver o caos; é aquele homem que entendeu que a sua única possibilidade de existência é carregar peso; é o homem que busca dar segurança para a sua mulher e ainda acredita no romantismo, mas não aquele romantismo meloso e abnegado, mas no romantismo clássico, onde a mulher, por ser mais frágil e sensível, necessita de um homem digno e forte; é aquele homem que tomou consciência de sua agressividade inata, e justamente por isso, contém seus impulsos agressivos, pois trouxe sua agressividade para o consciente, e a descarrega quando necessário nos afazeres do seu dia a dia por meio da sublimação. Enfim, é aquele homem que normalmente é acusado de machista pelas feministas por ter todas as características que citei acima.

E os homens fracos? Bem, os homens fracos são frutos das únicas virtudes masculinas aceitáveis em nosso mundo moderno: docilidade, inofensividade e sensibilidade. A agressividade é vista como uma característica que deve ser exterminada da natureza masculina. Eis então que os homens dóceis surgem por aí. É o típico homem que não contém suas emoções, pois homem chora sim, inclusive na frente dos outros, e não importa o motivo; é aquele homem que defende as pautas contra ele mesmo: machismo, masculinidade tóxica, sistema patriarcal opressor; é aquele cara que vive se desculpando por ser homem; é aquele carinha descolado e desconstruidão que escreve frases bonitinhas e se expressa de maneira doce e demasiadamente afável na busca desesperada em agradar a pauta progressista do momento, mas, na sua vida real, no cotidiano insuportável, não levanta a bunda da cadeira sequer para trocar a resistência de um chuveiro.

Perceba o quão distante este homem está de sua natureza masculina, perceba a persona que este cara desconstruidão criou para se adequar à pauta — pauta esta ditada muitas vezes por ideologias políticas. Aqui começa a questão fundamental que quero explicitar: quando apenas a docilidade e a inofensividade são aceitas como virtudes masculinas, a agressividade e a violência passam a gerar um fascínio inconsciente nestes homens fracos. E é aí que mora o perigo, pois estes homens deixam seus demônios no inconsciente, ou seja, eles não possuem controle algum sobre sua violência e agressividade, e pior, tentam mascarar isso de todas as formas, muitas vezes mentindo para si mesmos que isso se trata de construção social, logo, quando são confrontados com o caos que a vida adulta traz, ainda mais a vida a dois — que não é nada fácil —, sua agressividade e violência inatas vêm à tona, e como este homem fraco raramente encara sua própria natureza, eis a fórmula para o desastre.

Este homem fraco, descontroladamente, agride sua companheira. Ora, quem esperaria que um homem inofensivo destes seria um agressor voraz? Isto não me surpreende há tempos. E por quê? Porque eu sei da minha capacidade para o mal, eu sei da minha capacidade para a violência e converso sobre isso abertamente com os outros, com a minha mulher e comigo mesmo. Por este fato, uso da sublimação para descarregar a agressividade e a violência que habitam em mim. Por que será que grande parte dos homens amam futebol? Por que será que amamos esportes de contato? Por que será que homens se colocam em maiores situações de risco do que as mulheres? Por que será que muitas vezes nos expressamos de forma mais incisiva e rígida? Porque estamos simplesmente descarregando nossa violência por meios que são aceitos em nossa sociedade. E isso é ótimo, pois amenizamos nossa dor, nossas angústias, nossas frustrações, nossos conflitos mentais, e claro, nossa violência.

Qualquer homem que tentar suprimir isso a toda prova corre um grande risco de perder o controle quando o caos bater em sua porta. O que acontece com uma panela de pressão que não possui uma válvula de escape? A pressão interna vai se acumulando aos poucos devido ao vapor. Chegará um momento crítico em que a única forma de liberar esta pressão é com uma explosão incontrolável; o problema em chegar a este ponto crítico é que as chances de machucar alguém são altíssimas. Acredito que seja isso o que acontece com os tais homens fracos que agridem suas companheiras.

E alguém poderá argumentar: “Você está dizendo que homens são agressivos por natureza?” Sim! E mulheres também. É cômico a inocência de algumas pessoas quando o assunto é natureza humana. Elas realmente acham que somos seres moldados ao bel prazer da consciência e da racionalidade. Triste engano. Freud nos deu a terceira ferida narcísica: “O eu não é senhor em sua própria morada.” A segunda ferida em nosso ego foi feita por Charles Darwin, quando descobriu que éramos apenas mais uma espécie a habitar estes lugares ermos. A primeira ferida narcísica veio com Copérnico, comprovando que a Terra não era o centro do universo, era apenas mais um planeta girando em torno de um sol.

Às vezes é importante lembrarmos de nossas feridas no ego para tomarmos consciência de que não somos apenas seres puros, bondosos e especiais. São estes homens e mulheres ingênuos que deixam estourar suas panelas de pressão. E são estes mesmos homens e mulheres que saem culpando tudo e todos quando suas panelas estouram, pois são incapazes de olharem para a podridão de suas próprias naturezas.

“Nenhuma árvore pode crescer até o céu, a menos que suas raízes desçam até o inferno.” Carl G. Jung

10 comentários em “SE VOCÊ PENSA QUE OS HOMENS FORTES SÃO PERIGOSOS, ESPERE ATÉ VER DO QUE OS FRACOS SÃO CAPAZES

  1. Aquele que é bonzinho ou boazinha o tempo todo está abrindo mão de muita coisa. E também pode usar essa “perfeição” para prender o outro. Como se afastar de alguém que faz tudo? Mas uma hora fica impossível segurar a “perfeição” e a natureza volta à tona. Boa reflexão, Guilherme. Abraços!

    Curtido por 1 pessoa

  2. como sempre: outro alento em meio ao caos emocional de tentar entender como foi possível !! // Penso que esse reflexão deveriam passar em horário nobre (vale o sonho!) // como fã inata do Fred .. eu ainda estou digerindo, mas compreendo tanto suas palavras que torna a realidade mais suportável de encarar // a vdd é que o homem só se torna melhor e mais senhor de si quando encara todas as suas faces ! // Obrigada mais uma vez Guilherme por isso !

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s