A VIDA É UM SOPRO

a vida é um sopro quando nos damos conta, passou de repente aqui estou, com quase trinta até os dezoito parecia tudo tão sublime parecíamos todos imortais nada poderia nos parar, nem mesmo o relógio tínhamos todo o tempo do mundo agora é tudo tão volátil, tão fugaz, tão efêmero as relações, as pessoas, os … Continue lendo A VIDA É UM SOPRO

QUERER NÃO É PODER

queria escrever sem ter que apagar queria andar sem ter que voltar queria viver sem ter que morrer queria amar sem ter que sofrer queria acertar sem ter que errar queria libertar sem ter que prender queria glórias sem ter que agir queria salário sem ter que produzir queria dignidade sem ter que merecer queria … Continue lendo QUERER NÃO É PODER

NÃO SOMOS NADA

estamos desesperados por sentido por isso tiramos sentido até das pedras criamos religiões, shoppings, remédios escrevemos romances, buscamos sexo ficamos enfurnados dentro de um escritório trabalhando a vida inteira criamos times de futebol para torcer criamos políticas para debater criamos drogas para enlouquecer criamos metas para bater tudo para fugir da tristeza que é a … Continue lendo NÃO SOMOS NADA

ALMA INDECIFRÁVEL

e mais uma vez sento em um canto vazio da minha alma tento entendê-la, mas ela faz questão de ser complexa como eu queria que ela fosse um transeunte qualquer, fosse algo palpável eu chegaria e diria: “olá, será que podemos conversar?” “então, por que você não faz o que mando?” acho que ela me … Continue lendo ALMA INDECIFRÁVEL

SEGUNDA-FEIRA CHUVOSA

O céu amanheceu fechado, nublado, chuvoso. Sempre tive apreço por dias escuros e frios. Parece dar um certo limite para a arrogância humana. Não somos invencíveis só porque fomos ao espaço. Talvez sejamos tão frágeis quanto uma joaninha. Um vírus nos mata. Sabe quando estamos prestes a vivenciar uma tormenta da natureza? São nestes momentos … Continue lendo SEGUNDA-FEIRA CHUVOSA

MALDITA INDECISÃO

Maldita indecisão; tudo fica pelo caminho Planos, projetos, moinhos Num dia a amo como se fosse morrer sem seu amor No outro a quero longe como se precisasse de um mundo singular Por que sou assim? Será que nada vai até o fim? Será que apenas minha vida vai ter um fim? Não! As pessoas … Continue lendo MALDITA INDECISÃO

COMO UM DEUS

Escrevo porque gosto Escrevo porque me apetece Escrevo para desabafar comigo mesmo Escrevo para expor um homem de atentos e lamentos Quando escrevo, debato com minha mente Surgem tantas ideias e diálogos horrendos E outros até banais Mas nunca são iguais Crio, invento, apago, renomeio Nomeio, morro, vivo, revivo Destruo, reconstruo, sorrio, me irrito Transo, … Continue lendo COMO UM DEUS

A FOME E A FALTA DE APETITE

Necessito de amor Um amor perene Não ilusório Nem efêmero Não finja me amar Não há como fingir amor Não se obrigue a me amar Não atente à dor Sofro por dentro Por um amor que não responde Me acabo, me divido, me pergunto Sou tão diferente dos outros homens? Tenho fome deste amor Quero … Continue lendo A FOME E A FALTA DE APETITE