EU SEI QUEBRAR PESCOÇO!

Na minha infância, sempre fui um cagão contumaz. Desde cumprimentar os transeuntes até arriscar um beijo “despretensioso” nos lábios de Luísa — esta crônica está no Ninguém Deveria Envelhecer Sozinho. Mas não era só isso! Eu tinha um medo absurdo de apanhar. Pouquíssimas foram as vezes que ouvi a frase espectral que ressoava nos corredoresContinuar lendo “EU SEI QUEBRAR PESCOÇO!”

“BOM DIA, DONA LOURDES”

Na semana passada, disse que uma das coisas que sentia falta do meu antigo trabalho, era do Naldo, o canalha honesto. Hoje, ao ir à santa missa e me deparar com um mar de cabelos brancos e grisalhos, me atentei à outra saudade: dona Lourdes. Como eu ia caminhando para o trabalho, passava todos osContinuar lendo ““BOM DIA, DONA LOURDES””

A MEDIDA DE AMAR É AMAR SEM MEDIDA

Confesso, leitor, que muitas vezes, sento-me aqui, nesta poltrona, e não sei bulhufas do que escrever. Tenho algumas ideias incompletas que vagueiam pelo limbo obscuro da minha inteligência limitadíssima, mas são só frases soltas. Eis que de uma frase solta, eis que de uma mísera palavra, ocorre-me uma lembrança, que faz a minha imaginação trabalharContinuar lendo “A MEDIDA DE AMAR É AMAR SEM MEDIDA”

O DESPERTAR DE UM CANALHA

Se tem algo que sentirei falta do meu antigo emprego, é do Naldo, cujo apelido se tornou espectral em minhas crônicas: Naldo, o Canalha Honesto. “Se é honesto, não é canalha! Se é canalha, não é honesto!” Pensaria, de maneira leviana, o leitor. Ora, o Naldo, na verdade, é um ex-canalha honesto. Hoje o homemContinuar lendo “O DESPERTAR DE UM CANALHA”

DIANTE DA MORTE, ABRACE!

Minha vó materna faleceu. Eu preciso escrever sobre isso. Eu preciso deixar marcado em algum lugar os acontecimentos destes últimos dias. Coisa de escritor. Ora, se não houvesse esta vontade obsessiva de relatar as marcas do tempo por meio das palavras, que tipo de escritor seria eu? Eis me aqui, sentado na poltrona do meuContinuar lendo “DIANTE DA MORTE, ABRACE!”

ELA É MUITO MELHOR DO QUE EU

Pensava, na véspera, sobre o fato inexorável e ululante de que tornei-me um homem melhor graças à minha mulher, a Adeline. É inegável! E veja você, leitor, o contraste monumental que há entre o Guilherme de 2018 e o Guilherme de 2022. Se colocasse, em um ringue, estes dois Guilhermes para se pegarem no soco,Continuar lendo “ELA É MUITO MELHOR DO QUE EU”

EU SOU UM BOSTA

Há tempos escrevi uma crônica intitulada Podres de Mimados, na qual eu tirava sarro de um pessoal descolado que ansiava por um mundo que se adequasse a eles, e não eles ao mundo. Gente preocupadíssima com pronome neutro, com gordofobia, veganismo, banheiro trans e otras cositas más. Repare que eu, em relação a estes progressistas,Continuar lendo “EU SOU UM BOSTA”

PORQUE ELE VIVE

No sábado à noite, véspera da ressureição de Cristo, tomei a iniciativa de assistir a um filme indicado pelo Italo Marsili, num estudo de caso específico sobre a maldade como possibilidade humana. Talvez você, leitor, sugeriria que eu assistisse A Paixão de Cristo, aquele dirigido pelo Mel Gibson. Este eu assisti semana passada. Após participarContinuar lendo “PORQUE ELE VIVE”

SINUCA COM CORDA

Hoje, ao acordar pela manhã, lembrei-me assim, de súbito, de uma expressão da qual faz-me rir desde quando meu primo a apresentou-me: “Sinuca com corda”. Você aí, meu leitor, já identificou do que se trata? Não? Deixe-me explicar-lhe. Na semana do meu casamento, recebemos aqui em casa a família. E sempre quando nos reunimos, aContinuar lendo “SINUCA COM CORDA”

ENCONTRO COM FÁTIMA LTDA.

Certa vez, em uma empresa na qual eu trabalhava, pediram-me para escrever um texto sobre a importância da diversidade nas organizações. O problema de trabalhar para os outros, é que você, mesmo não concordando com bulhufas, tem de fazer o trabalho. E eu entendo o porquê de ser assim. Não sou um mimado que reclamaContinuar lendo “ENCONTRO COM FÁTIMA LTDA.”