COMO O HOMEM DIFERENCIA A MULHER PARA SE PERDER UMA NOITE E A MULHER PARA SE GANHAR A ETERNIDADE?

Esta semana alguém perguntou-me, lá no Instagram, como o homem diferencia a mulher para se perder uma noite e a mulher para se ganhar a eternidade. Perceba que a seguidora não é boba. Ela sabe que isso existe no mercado dos afetos. Ela sabe que os homens possuem em seus contatos aquelas onde eles apenasContinuar lendo “COMO O HOMEM DIFERENCIA A MULHER PARA SE PERDER UMA NOITE E A MULHER PARA SE GANHAR A ETERNIDADE?”

QUAL É O SEU PORQUÊ?

Estava pensando cá com meus botões em como eu despertei para a vida nestes últimos anos. E entenda o “despertar” como um chamado de você para você mesmo: “— É isso, pare de se amedrontar e encare a vida! Está na hora. Ninguém lhe deve nada. Ninguém vai lhe pegar pela mãozinha e carregá-lo atéContinuar lendo “QUAL É O SEU PORQUÊ?”

NADA NOS HUMILHA MAIS DO QUE O DESEJO

Você, leitor, já parou para pensar que nada nos humilha mais do que o desejo? Imagine um homem barbado, sentado em frente ao computador, nu. Literalmente com o pau na mão, se acariciando para um monitor LCD. Após o clímax, de imediato, o miserável fecha as quinze abas que havia aberto com a intenção deContinuar lendo “NADA NOS HUMILHA MAIS DO QUE O DESEJO”

DEUS VISITA APENAS CEMITÉRIOS VAZIOS

Fui ao cemitério no último domingo. Era final de tarde. O crepúsculo se iniciava no céu. E como fazia tempo que não pisava em um cemitério, vivi aquela experiência com o máximo de atenção, com o máximo de esmero, se é que me entendem. Acredito que a última vez que havia pisado em um, foraContinuar lendo “DEUS VISITA APENAS CEMITÉRIOS VAZIOS”

A VERDADEIRA TRISTEZA NÃO SE ASSOA

“A verdadeira tristeza não se assoa.” Esta frase maravilhosa, tirei de uma crônica de Nelson Rodrigues. Vejam como Nelson observava o óbvio, e, justamente por isso, era um gênio. Imaginem a cena de uma viúva aos prantos no enterro do marido, derramando-se em lágrimas, aquelas lágrimas que nos impedem de falar, de respirar. Um parenteContinuar lendo “A VERDADEIRA TRISTEZA NÃO SE ASSOA”

A ARTE IMORTALIZA OS MORTAIS

Uma das coisas que mais gosto no ato de escrever é me deparar com meus textos antigos. É como se eu conseguisse me transportar para o passado e me colocar no exato momento em que escrevia o devaneio. Acredito que esta sensação é uma das mais belas se tratando da arte. Não estou aqui meContinuar lendo “A ARTE IMORTALIZA OS MORTAIS”

JOVENS, ENVELHEÇAM RAPIDAMENTE!

Parado em um ponto de ônibus, Nelson ouvia duas senhoras papear à esmo. Uma delas estava com o olho roxo e parecia mancar à medida que se locomovia. A outra, curiosa de ver aquilo, perguntou: “O que aconteceu?” E a velhinha espancada responde calmamente: “Meu filho me bateu.” “Mas o que a senhora fez paraContinuar lendo “JOVENS, ENVELHEÇAM RAPIDAMENTE!”

UM CORAÇÃO QUE PULSA EM MEIO A CORAÇÕES APÁTICOS

Estive pensando sobre o ato de escrever. O que me leva a escrever? O que faz com que eu me debruce sobre a mesa do computador e digite letras que formam palavras das quais possuem um significado? Escrevo para os outros? Qual a minha pretensão ao escrever? Aliás, há alguma pretensão nisso? Vos digo, escrevoContinuar lendo “UM CORAÇÃO QUE PULSA EM MEIO A CORAÇÕES APÁTICOS”

NOTA LITERÁRIA #02 – A PÁTRIA DE CHUTEIRAS (NELSON RODRIGUES)

Nelson Rodrigues, sem dúvida, é o maior cronista que já li, senão, o maior escritor. Não é exagero! O Nelson tinha uma crueldade, e, ao mesmo tempo, uma profundidade na escrita de nos fazer estarrecer lendo suas palavras. Digo de boca cheia: Nelson é um gênio brasileiro; Nelson é um moralista, e todo moralista, no sentido filosófico,Continuar lendo “NOTA LITERÁRIA #02 – A PÁTRIA DE CHUTEIRAS (NELSON RODRIGUES)”

SER HUMANO

Como escrever grandes obras sendo alguém normal? Alguém que nunca passou fome, sofreu abuso ou viu a morte; alguém que tem uma família deveras amável; alguém que, apesar de não ser opulento, consegue ter. Parece-me que os grandes escritores sofreram tanto, seja pela miséria, seja por amor, seja por um vício. É por isso queContinuar lendo “SER HUMANO”