VOCÊ CRÊ PARA CAMINHAR, E NÃO O CONTRÁRIO

Terça-feira cheguei em casa com olhos rútilos. Assim que adentrei em minha residência, minha mulher me olha e pergunta: “— Como foi lá na catequese?” Eu estava emocionado por fazer uma das maiores descobertas desta minha ínfima existência. Eu sei, para você que me lê há tempos, deve estar pensando: “Catequese? Você?” É isso mesmoContinuar lendo “VOCÊ CRÊ PARA CAMINHAR, E NÃO O CONTRÁRIO”

OLHOS FAMINTOS

Ao sentar-me no sofá para assistir a um filme de terror na Netflix, lembrei-me da infância. O leitor já deve ter notado que há semanas venho lembrando da época mais inocente da minha vida. Isso se deve ao fato de obrigar-me a escrever. A escrita me obriga a rebuscar memórias, e como isso é maravilhosoContinuar lendo “OLHOS FAMINTOS”

O PRIMEIRO BEIJO

Vocês lembram do primeiro beijo? Sim! Aquele beijo que possui uma expectativa infantil e avassaladora. Tornamo-nos psicóticos pensando no primeiro beijo. Criamos uma realidade ficcional: lá está a garota que desejo; ela tem os olhos rútilos e os lábios úmidos. Seus cabelos são compridos e charmosos. Eu chego e, de súbito, a beijo lentamente porContinuar lendo “O PRIMEIRO BEIJO”