O AMOR DOCE DE MINHA MÃE

Estes dias, numa sessão de terapia, emocionei-me ao relatar para a paciente em minha frente o momento que cortei o cordão umbilical com minha progenitora. Engana-se quem pensa que o cordão umbilical é cortado logo após o parto. Continuamos naquele enlace de sobrevivência com nossa mãe por mais alguns anos. Ora, ela nos dá deContinuar lendo O AMOR DOCE DE MINHA MÃE

DIANTE DA MORTE, ABRACE!

Minha vó materna faleceu. Eu preciso escrever sobre isso. Eu preciso deixar marcado em algum lugar os acontecimentos destes últimos dias. Coisa de escritor. Ora, se não houvesse esta vontade obsessiva de relatar as marcas do tempo por meio das palavras, que tipo de escritor seria eu? Eis me aqui, sentado na poltrona do meuContinuar lendo “DIANTE DA MORTE, ABRACE!”

EU SOU UM BOSTA

Há tempos escrevi uma crônica intitulada Podres de Mimados, na qual eu tirava sarro de um pessoal descolado que ansiava por um mundo que se adequasse a eles, e não eles ao mundo. Gente preocupadíssima com pronome neutro, com gordofobia, veganismo, banheiro trans e otras cositas más. Repare que eu, em relação a estes progressistas,Continuar lendo “EU SOU UM BOSTA”

Você já abraçou seus pais hoje?

Lembro-me quando eu, ainda criança, pequenino e cabeçudo, olhava para meus pais com olhos rútilos de admiração. Eram dois gigantes, não só pelo tamanho em relação a mim, mas pelo amor incondicional que sempre recebi de ambos. Ao ficar doente, dor de barriga, dor de ouvido ou algum resfriado qualquer, lá estava minha mãe, comContinuar lendo “Você já abraçou seus pais hoje?”

UM PAI, POR OBRIGAÇÃO, DEVE TER UM ANTEBRAÇO LARGO E FORTE

Neste final de semana peguei a estrada, minto: pegamos a estrada. Eu, minha mulher e o Adão, nosso gato preto da sorte. Deixe-me fazer um breve comentário antes de continuar a crônica. Nada como ter um gato. O Adão, apesar de pequenino e de ser apenas um bicho “irracional” — coloco entre aspas, pois, àsContinuar lendo “UM PAI, POR OBRIGAÇÃO, DEVE TER UM ANTEBRAÇO LARGO E FORTE”

E ENTÃO, QUANDO DEIXAREMOS DE SER COVARDES?

Um dos maiores pecados que já cometi na vida, foi chegar em casa e descontar as minhas frustrações em quem me ama. Isto é de uma pusilanimidade tamanha que tenho vontade de bater-me com as próprias mãos só de lembra-me. Passava o dia inteiro segurando-me para não explodir no trabalho, nas relações sociais fora deContinuar lendo “E ENTÃO, QUANDO DEIXAREMOS DE SER COVARDES?”

A SOLIDÃO DEVE SER SUA AMANTE, NÃO SUA NAMORADA

“Reservado”. Está aí um adjetivo que ouvi sobre mim durante muito tempo, seja nos relacionamentos amorosos, no núcleo familiar ou em qualquer outro vínculo social. Mas o que seria um cara “reservado”? Praticamente alguém que namora com a solidão e tem dificuldade de expor seus sentimentos para o outro, peremptoriamente face a face. Por esteContinuar lendo “A SOLIDÃO DEVE SER SUA AMANTE, NÃO SUA NAMORADA”

O nome deste edifício será “amor”.

Numa vida a dois, os pormenores fazem toda a diferença. As pequenas coisas, os pequenos esforços de cada um dentro da relação são responsáveis por feitos grandiosos na vida de um casal. É como se construíssemos um edifício até o infinito. Dia após dia, semana após semana, tijolo por tijolo. Vez ou outra vamos necessitarContinuar lendo “O nome deste edifício será “amor”.”

UMA MÃE É UM ANJO DA GUARDA

Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, lá estará minha mãe, para me guiar, me dar amor, me dar carinho e oferecer uma luz na escuridão. Quantas e quantas vezes já liguei para ela em momentos de agonia, angústia e medo. Momentos em que eu sentia que precisava apenas ouvi-la. Não queriaContinuar lendo “UMA MÃE É UM ANJO DA GUARDA”

A VISITA DOS MEUS PAIS

Nestes últimos dias, recebi a visita de meus pais. Estávamos há um ano sem nos ver. Como é bom poder abraçá-los novamente e sentir que são os mesmos. Com o mesmo afeto, o mesmo amor, o mesmo carinho, os mesmos trejeitos. É inevitável o sentimento de segurança que me acomete quando estou na presença deles.Continuar lendo “A VISITA DOS MEUS PAIS”