E ENTÃO, QUANDO DEIXAREMOS DE SER COVARDES?

Um dos maiores pecados que já cometi na vida, foi chegar em casa e descontar as minhas frustrações em quem me ama. Isto é de uma pusilanimidade tamanha que tenho vontade de bater-me com as próprias mãos só de lembra-me. Passava o dia inteiro segurando-me para não explodir no trabalho, nas relações sociais fora deContinuar lendo “E ENTÃO, QUANDO DEIXAREMOS DE SER COVARDES?”