Meu Segundo Livro: Depois de Nós – Guilherme Angra

Meu segundo livro está pronto. Sim, meus queridos, os livros chegaram: Para quem chegou recentemente por aqui, deixe-me dar-lhe um resumo da história: Após passar dois anos na Coreia do Norte em uma guerra que devastou o país, o americano Ivan Gallagher retorna para a sua família nos Estados Unidos. Elizabeth, sua esposa, e seuContinuar lendo “Meu Segundo Livro: Depois de Nós – Guilherme Angra”

O SUICÍDIO VISTO COMO UMA FORMA DE CONFORTO

Nunca estudei a fundo sobre suicídio ou depressão. O que vou expressar aqui são apenas reflexões baseadas no meu puro achismo de como vejo a vida, a morte, a tristeza, a felicidade e a insignificância humana. Antigamente, quando ouvia a notícia de que alguém cometera suicídio, pensava: “como alguém pode se matar? O quão depressivoContinuar lendo “O SUICÍDIO VISTO COMO UMA FORMA DE CONFORTO”

UM CORAÇÃO QUE PULSA EM MEIO A CORAÇÕES APÁTICOS

Estive pensando sobre o ato de escrever. O que me leva a escrever? O que faz com que eu me debruce sobre a mesa do computador e digite letras que formam palavras das quais possuem um significado? Escrevo para os outros? Qual a minha pretensão ao escrever? Aliás, há alguma pretensão nisso? Vos digo, escrevoContinuar lendo “UM CORAÇÃO QUE PULSA EM MEIO A CORAÇÕES APÁTICOS”

O QUÃO VAZIO VOCÊ ESTÁ DIANTE DE TANTA INFORMAÇÃO?

O mundo hoje tem uma capacidade atroz de nos entreter. Fico pensando como seria se tivesse Netflix, Facebook, Google, Playstation 4 e Whatsapp na época que Dostoiévski escreveu Crime e Castigo, ou quando Orwell escreveu 1984, ou até mesmo quando Nietzsche escreveu Assim Falou Zaratustra. Será que eles seriam quem seriam? Será que seriam tãoContinuar lendo “O QUÃO VAZIO VOCÊ ESTÁ DIANTE DE TANTA INFORMAÇÃO?”

A ETERNA INSATISFAÇÃO HUMANA

O ser humano é um bicho insustentável. Estamos sempre atrás de uma realização para satisfazer nosso estado de espírito, nosso ego insuperável. O problema é que nunca estamos plenamente realizados, me parece que sempre falta algo para preencher o vazio que insiste em permear nossa alma. Dostoiévski enfatizou que há no homem um vazio doContinuar lendo “A ETERNA INSATISFAÇÃO HUMANA”

NOTA LITERÁRIA #03 – MEMÓRIAS DO SUBSOLO (FIÓDOR DOSTOIÉVSKI)

Acabei de finalizar uma das obras mais sinceras e profundas que já li. Mas isso já era esperado de um filósofo trágico como Dostoiévski. Tive muita dificuldade de ler Crime e Castigo – outro clássico do mesmo autor -, principalmente por se tratar de um livro tenso, pois nos coloca na consciência de um protagonistaContinuar lendo “NOTA LITERÁRIA #03 – MEMÓRIAS DO SUBSOLO (FIÓDOR DOSTOIÉVSKI)”

SER HUMANO

Como escrever grandes obras sendo alguém normal? Alguém que nunca passou fome, sofreu abuso ou viu a morte; alguém que tem uma família deveras amável; alguém que, apesar de não ser opulento, consegue ter. Parece-me que os grandes escritores sofreram tanto, seja pela miséria, seja por amor, seja por um vício. É por isso queContinuar lendo “SER HUMANO”

PESSIMISTAS OU OTIMISTAS?

Já disse aqui – de boca cheia – o quanto sou pessimista em relação a nós. Alguns dias atrás assisti um vídeo de Mario Sergio Cortella, filósofo que admiro muito, dizendo que os pessimistas são vadios, têm preguiça de ir atrás de seus objetivos e estão sempre de mau humor. Resumindo: são vagabundos! Ainda falaContinuar lendo “PESSIMISTAS OU OTIMISTAS?”