O DIA EM QUE O ESCRETE FOI MASSACRADO

Não espere nada de mim. Olhe para este homem que lhe escreve e não espere absolutamente nada. Faça pior: diga-me que sou incapaz de suprir suas expectativas. Aqui começa uma de minhas maiores alegrias da pré-adolescência: o sentimento primoroso de surpreender aqueles que não apostavam sequer um mísero centavo no meu potencial, ou melhor, noContinuar lendo “O DIA EM QUE O ESCRETE FOI MASSACRADO”