“QUANTO MAIS VOCÊ CHORAR, MAIS EU VOU TE FERRAR!”

Há tempos parei de escrever sobre política, políticos, Estado, autoridade compulsória, impostos e tudo que envolve este circo do horror. Isso estava destruindo minha alma, pois é isso o que a política faz: desumaniza quem se mete com ela. Entretanto, vez ou outra, eu entendo de onde vinha a minha ira, a minha cólera, o meu ódio sincero contra todo este sistema injusto e autoritário travestido de “boas intenções”.

Ontem, por volta do meio dia, meu pai enviou dois áudios no grupo da família, no WhatsApp. Ao ouvir estes áudios e deparar-me com meu pai chorando ao tentar explicar o que acabara de acontecer, reacendeu em mim todo aquele sentimento de cólera diante da injustiça, mas agora era ainda mais forte, pois a injustiça fora feita diretamente contra a minha família, contra o meu pai. E ouvi-lo chorar por ter sua carreta apreendida pela Polícia Rodoviária Federal, foi o estopim. Eu não lembro de ouvir meu pai chorar daquele jeito desesperado. Nem quando ele sofrera três acidentes gravíssimos em sua vida de caminhoneiro ele chorara assim.

Eu entendo de onde vinha aquele choro sincero. Vinha do fato de ter sido humilhado por uma autoridade federal, e, como era uma autoridade federal, não há conversa, não há meio termo, não há bom senso, o que houve de fato foi: “— Quanto mais você chorar, mais eu vou te ferrar!” Era isso o que a autoridade federal disse para o meu pai, que estava ajoelhado implorando para que não apreendesse sua carreta, pois este é o ganha-pão da minha família. E você, leitor, deve estar pensando: “O que tinha de tão errado com a carreta de seu pai. Ele estava carregando drogas?”

Não. O guarda federal simplesmente confiscou a carreta por causa de um pneu ruim e uma solda no para-choque. Sim! “Ah, Guilherme, mas é a lei!” Foi exatamente isso o que o guarda disse para o meu pai quando ele, imediatamente se propôs a trocar o pneu ali, na frente dele: “— Não tem conversa. É a lei. Vou chamar o guincho pra levar sua carreta para o pátio da polícia.” E meu pai, desesperado, implorou: “Seu guarda, eu posso levar a carreta até o pátio. Não precisa de guincho.” Mas a autoridade que seguia leis não quis saber: “— Não tem conversa. Vou chamar o guincho!” Adivinha só?! O guincho fez trezentos quilômetros para chegar até a carreta para então levá-la para o pátio da polícia. E sabe quem vai pagar mais de três mil reais em guincho? Meu pai. Sabe quem vai pagar a estadia no pátio da polícia? Meu pai. Sabe quem vai pagar o salário deste guarda no fim do mês? Meu pai.

“— Quanto mais você chorar, mais eu vou te ferrar!” Essa frase ecoará na minha consciência por muito tempo, pois alguém que diz algo desta torpeza para um ser humano que está ajoelhado em lágrimas, perdera a humanidade. É o seguidor de leis do Estado. Se está na lei, está certo. Se está na lei, é preciso fazer cumprir, a qualquer custo. Sabe o que estava na lei? O holocausto. O comunismo. O paredão de fuzilamento.

“— Ah, Guilherme, você está exagerando.” Será? Veja essa pandemia. As pessoas estão clamando por uma ditadura, estão clamando por controle, estão clamando para que a elite estatal resolva tudo, nem que seja na base da violência contra a população. Não é raro encontrarmos vídeos, onde fiscais do Estado apreendem o único meio de sustento de um trabalhador, pois este “criminoso” ousou sair de casa em pleno lockdow para sustentar sua família. E sabe o que mais dói? O salário de todo funcionalismo público, está garantido no final do mês, e adivinha quem paga? Este mesmo trabalhador que é impossibilitado de trabalhar. Isso é de uma injustiça monumental que não cabe no peito.

Ao ver os comentários em vídeos como esse, é possível se deparar com coisas assim: “Quem mandou não cumprir as leis?”, “Lei é para ser cumprida! Bem feito!”, “Tem que prender também quem anda sem máscara na rua!” Todos estes acéfalos seguidores de leis são capazes de dizer a maldita frase no conforto de suas casas: “— Quanto mais você chorar, mais eu vou te ferrar!” Pois para eles, um pedaço de papel escrito por um político, é mais importante do que o bom senso, é mais importante do que o amor. Como dizia Nelson: “Só o homem pode deixar de ser homem e desumanizar-se.” E digo para você, leitor: a desumanização começa quando você se acovarda diante da existência, como uma criança que tem medo do escuro e precisa dormir com os pais. Porém, diferentemente de uma criança que tem medo do escuro, o covarde tem medo da vida, inveja quem a enfrenta, e, por isso mesmo, entrega sua humanidade e sua liberdade para o papai estatal.

Às vezes dá vontade de simplesmente desistir.

Publicado por Guilherme Angra

É escritor e psicanalista. Publicou seu primeiro livro em março de 2018, Quando a Vida Vale a Pena: Reflexões sobre o Amor e Outras Doenças. Depois disso, publicou seu primeiro romance em fevereiro de 2020, o Depois de Nós. Escreve textos semanais em suas redes sociais desde 2018. Em 2021 iniciou seu maior projeto até então, o Querido Sobrevivente, que tem como objetivo ajudar as pessoas a construírem uma vida com substância. Faz postagens regularmente em suas redes sociais trazendo reflexões da vida como ela é, e oferece atendimento psicoterapêutico de forma online e presencial.

14 comentários em ““QUANTO MAIS VOCÊ CHORAR, MAIS EU VOU TE FERRAR!”

  1. Não desista, não, Guilherme. Precisamos continuar lutando para que fatos como o que aconteceu com seu pai não sejam rotina no futuro e que todos comecem a ter BOM SENSO na vida!
    Adorei o texto!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Poxa, que relato doloroso de ler. Senti aqui a revolta e a injustiça com seu pai. Deixo aqui minha vibração de paz para que isso se resolva como Deus quer, porque com ele nada é impossível, ele tudo resolve, ele tudo pode resolver.
    E lembre-se, os humilhados serão exaltados. Confia!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Olá Guilherme, sou nova aqui, mas senti sua indignação! E você disse uma grande verdade: essas coisas vão adoecendo a nossa alma. Por isso parei! Não discuto política, não faço questão de provar que estou certa pra ninguém, e nem quero que me provem nada. Me apartei de tudo isso. Exclui meu Facebook do celular, porque assim eu só entro de vez em quando pra falar com quem eu gosto. Essas mudanças me ajudam a manter a cabeça e a alma mais tranquilos no meio dessa palhaçada toda, e principalmente, manter a fé. Sinto muitíssimo pelo seu pai, mas posso afirmar com toda a certeza: a justiça vem, e não é a dos homens. Não desista! Olhe pra esse país lindo que ainda existe por baixo de toda essa sujeira. Força!

    Curtido por 1 pessoa

  4. RESISTA. Cara, esse relato foi forte demais, estou em pânico e em lágrimas. Esse mundo e a crescente falta de humanidade que temos nos deparado dia após dia é um pagamento de karma dos mais pesados. Espero que fique tudo bem com seu papis. Se me permite, gostaria de saber seu insta para dar os créditos quando divulgar parte do seu texto. Obrigada.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: