NINGUÉM DEVERIA BUSCAR A FELICIDADE

A noção de que o sentido da vida é ser feliz é fraquíssima. Isto não sustenta nada de valor, muito menos uma vida. “Ah, o importante na vida é ser feliz.” Um câncer e sua vida estará acabada; uma tristeza mesquinha e sua vida estará acabada; um ente querido morre e sua vida se esvai como água descendo por um ralo, pois o sentido da sua vida é ser feliz, seu propósito existencial é ser feliz.

Vocês já pararam para pensar que ninguém teria filhos se pensasse seriamente sobre a felicidade? A literatura psicológica é muito clara neste sentido: pessoas que não têm filhos são mais felizes. Minha mãe sempre diz que após ter um filho, você nunca mais vai ter uma noite de sono bem dormida, como era antes da maternidade. Agora aquela coisinha que saiu de você precisa de afeto, atenção, disciplina, educação e amor. É uma responsabilidade insana ter um filho. Podemos concordar que há algo de muito nobre na maternidade.

Alguns poderiam simplesmente deduzir: “Ora, só não tenha filhos.” E esta é a escolha de muitas pessoas. A questão aqui é: para que diabos você serve se não está aqui para ter responsabilidades desta magnitude? Para nada. Uma responsabilidade deste tamanho é um “chamado”, como quem diz: Ei, acorde para a vida, carregue o maior fardo que conseguir suportar, mire alto, aja corretamente e veja onde consegue chegar.” Pois se você abrir os olhos, perceberá que a realidade da vida é tragédia e sofrimento. Não há como escapar disso.

Mas esta conclusão nada feliz não significa que a vida seja insuportável ou que não deveríamos sequer existir. Pelo contrário! Isto quer dizer que você deve lutar com a vida, deve estar preparado para assumir responsabilidades por você e também pelos outros. Então, ao final do dia, após ter carregado seus fardos, você senta-se no sofá de consciência tranquila pois fez o que tinha que fazer. Você relaxa e conta como foi o seu dia para sua esposa. A felicidade surge por alguns momentos e você a aproveita, você a deleita verdadeiramente e agradece a Deus por isso, porque o que importa na vida não é ser feliz — e todos vamos descobrir que isto é impossível —, o que importa é você fazer suas responsabilidades mirando no maior bem possível. Esta me parece ser uma busca aceitável: buscar o maior bem possível.

Este comprometimento com suas responsabilidades se trata de um ato de fé. Porque a fé, nada mais é do que a percepção de que as trágicas irracionalidades da vida precisam de um contraponto, algo que nos dê equilíbrio. O contraponto que cito aqui é um comprometimento com as responsabilidades da vida igualmente irracional. Quem teria um filho se pensasse racionalmente? Quem casaria com o sexo oposto? Quem em sã consciência mudaria as coisas de lugar? Quem levantaria da cama? Quem buscaria o bem? Quem ajudaria o próximo? Quem faria algumas destas coisas se pensasse racionalmente? Ninguém. Fazemos isto pois nossas ações são baseadas na fé, e isto é maravilhoso.

2 comentários em “NINGUÉM DEVERIA BUSCAR A FELICIDADE

  1. Muito legal seu ponto de vista… e é por causa da racionalidade que muitas mulheres não querem ou não tem certeza se querem ter filhos. Não necessariamente para fugir de uma responsabilidade, mas porque adquiriram outras e simplesmente precisam escolher. Um ponto de vista de uma mulher… 🙂

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s